All for Joomla All for Webmasters
25 abril

PAREDES Câmara distingue personalidades Destaque

Escrito por 
António Joaquim Oliveira, Camilo Alves da Mota, Cristiano Ribeiro, Joaquim Fernando Moreira e José António Couto foram condecorados com a Medalha de Ouro do Município de Paredes, por honrarem as conquistas de abril, trabalharem em prol da democracia e contribuírem para a causa pública e para o progresso do concelho de Paredes. A homenagem foi feita durante a Sessão Solene Comemorativa do 43.º Aniversário do 25 de Abril de 1974, que a Câmara Municipal realizou no Salão Nobre dos Paços do Concelho.
 
Celso Ferreira abriu a sessão de discursos. “Em Portugal, há dois momentos privilegiados para a reflexão política, o 5 de outubro e o 25 de abril. E no 25 de abril, data da nossa maior referência da liberdade, é natural que reflitamos sobre o que fomos, o que somos e o que queremos ser”, começou por dizer o Presidente da Câmara Municipal de Paredes.
 
“Temos de refletir sobre o que foram os últimos 43 anos e os homenageados nesta Sessão Solene são parte desse percurso. O concelho de Paredes beneficiou da contribuição deles. E fizemos um percurso notável: na educação, na saúde, no desenvolvimento económico, na distribuição do investimento por todas as freguesias, no desporto…”, prosseguiu.
 
“Este é o meu último discurso de 25 de abril enquanto Presidente da Câmara de Paredes, e quero dizer que a escolha destas personalidades, de sensibilidades diferentes, mostra transversalmente os 43 anos de desenvolvimento depois do 25 de abril de 1974. É um orgulho para nós entregarmos-lhes a Medalha de Ouro do Município e muita honra me confere o facto de ser eu o presidente nesta hora”, disse Celso Ferreira a fechar o discurso.
 
António Joaquim Oliveira foi, por ordem alfabética, o primeiro homenageado. “Considero esta condecoração extensiva a todos os ex-combatentes e veteranos é também o reconhecimento do papel da Delegação do Vale do Sousa da Associação Portuguesa de Veteranos de Guerra no apoio a quem ainda sofre muito as consequências da Guerra Colonial. Dos 1,2 milhões que combateram, há ainda 800 mil vivos com problemas angustiantes”, lamentou.
 
Camilo Alves da Mota foi o homenageado que se seguiu. “Esta sala completa de líderes locais do nosso concelho é a maior celebração de abril. Quero agradecer ao Sr. Presidente da Câmara por este ato simbólico, singelo mas brilhante, que nos conseguiu sentar na mesma mesa. Há 43 anos, Paredes era dos concelhos que tinham uma taxa de mortalidade muito elevada, mas o nível de vida tem sido sempre elevado até aos nossos dias”, enalteceu.
 
O terceiro homenageado da manhã foi Cristiano Ribeiro, afirmando que vale a pena ser de Paredes: “Terminado o curso [de medicina], cresci como cidadão. O contacto com a doença fez com que nascesse em mim uma consciência social. Em 1980, cheguei a Paredes e vivi as presidências de Granja da Fonseca e de Celso Ferreira, que aqui cumprimento solenemente. Sou defensor da política ética e, ao contrário de muitos, se voltasse atrás no tempo, faria algumas coisas diferentes. Cometi muitos erros, fiz juízos precipitados e injustos, mas nunca intencionalmente. E neste 25 de abril digo que vale a pena ser de Paredes e lutar por Paredes”.
 
O penúltimo homenageado da Sessão Solene foi Joaquim Fernando Moreira: “Sinto-me um bocado confuso com esta homenagem, porque nunca fiz nada na vida para ser homenageado. Mas nem por isso deixo de agradecer ao Sr. Presidente Celso Ferreira. A minha vida profissional foi toda ela dedicada ao Vale do Sousa e às suas Câmaras e vou atribuir esta homenagem também a todos os meus colaboradores, porque todos eles me ajudaram. E fico feliz por ser neste dia que a recebo, porque foi no 25 de abril de 1974 que começou a democracia. Que Paredes continue a ser um concelho em progressão constante”.
 
Quis o alfabeto que José António Couto fosse o último homenageado a receber a Medalha de Ouro do Município de Paredes das mãos do Presidente da Câmara. “É sempre difícil recebermos um agradecimento pelo trabalho em prol do concelho, porque não o fizemos para isso. Mas agradeço, e agradeço a Jorge Malheiro [antigo Presidente da Câmara Municipal de Paredes], porque é por ele que estou aqui. Paredes é um concelho que tem muito trabalho autárquico e que por isso andou sempre na vanguarda dos concelhos limítrofes. E este é também um prémio para a minha família, porque foi prejudicada pela minha vida política, para a qual não chegam oito horas por dia”, reconheceu.
 
Antes dos discursos, a abrir a cerimónia, houve uma atuação do Orfeão de Paredes, evocativa do 25 de abril, com composições de Fernando Lopes-Graça e textos de José Saramago. Finda a Sessão Solene, a cerimónia prosseguiu no corredor contíguo ao Gabinete da Presidência, onde foram descerrados quadros com os 24 brasões das freguesias do concelho de Paredes, encabeçados pelo brasão de Paredes. A tradicional fotografia de grupo encerrou esta comemoração do 43.º aniversário do 25 de abril de 1974, em Paredes.
 
Sobre os homenageados
António Joaquim Oliveira nasceu em 1942, é casado, pai de quatro filhos e tem duas netas e dois netos. Está aposentado, depois de ter sido comerciante do ramo automóvel. Cumpriu o Serviço Militar de 1964 a 1967 como Furriel Miliciano, embarcando para Angola em 1965, onde esteve em pleno teatro de guerra, na tropa de intervenção.
Com uma vida dedicada ao voluntariado, aderiu, em 2000, à Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra (APVG), fundada um ano antes. Em 2002, foi eleito Presidente do núcleo no Vale do Sousa e, em 2003, formou a Delegação do Vale do Sousa, aberta a toda a comunidade, prestando serviços Medicina de Clínica Geral, Psicologia, Enfermagem, Advocacia e Psiquiatra, tratando também da documentação para vários Ministérios.
A APVG organiza anualmente um passeio para os ex-combatentes e suas famílias e todos os anos, no dia 20 de outubro, há uma concentração em Lisboa, junto aos monumento aos ex-combatentes, onde é prestada homenagem aos militares que morreram em defesa de Pátria. Em sua memória, a APGV estabeleceu igualmente a celebração de uma missa mensal. António Joaquim Oliveira recebeu um louvor da APVG no triénio de 2003/2005.
 
Camilo Alves Mota nasceu na freguesia de Aguiar de Sousa, em Paredes, a 16 de julho de 1952. É médico, licenciado, em 1978, pela Universidade do Porto, exercendo funções de Medicina  Geral e Familiar  desde essa data em vários hospitais e centros de saúde.
Militante do PSD desde 1984, foi Presidente da Comissão Politica PSD Paredes de 1988 a 1994, tendo liderado o processo que culminou na viragem autárquica da Câmara Municipal de Paredes, em 1993.
Foi candidato a deputado pelo PSD nas Eleições Legislativas de 1987, nas quais o partido obteve a primeira maioria absoluta em Paredes e a nível Nacional. Como candidato à Presidência da Câmara Municipal de Paredes, em 1989, retirou a maioria absoluta ao CDS e ficou a apenas escassas centenas de votos da vitória. Nas seguintes Eleições Autárquicas, em 1993, foi o primeiro candidato à Assembleia Municipal na lista mais votada que levou à grande vitória do PSD em Paredes.
Na política, foi ainda Secretário da Mesa da Assembleia Distrital do PSD Porto e foi  Presidente da Mesa do Plenário do PSD Paredes.
Profissionalmente, foi nomeado Diretor Executivo do Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega III, Vale do Sousa Norte, em 2012, tendo desempenhado funções até 2015, recebendo uma Menção Honrosa atribuída pela ARS Norte pelos Serviços de Saúde prestados nos Concelhos de Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras, por exercer sempre a profissão com brio e ética profissional.
 
Cristiano Ribeiro nasceu, há 60 anos, na freguesia de Rio Tinto, concelho de Gondomar. Médico de profissão, é casado e residiu em Paredes de 1990 a 2013. Vive e trabalha atualmente em Penafiel. 
Foi candidato aos órgãos autárquicos em sucessivas eleições pela CDU, candidato em eleições legislativas pela CDU e é membro da Assembleia Municipal de Paredes pela CDU.
Assina crónicas regulares em jornais regionais e locais e desenvolve uma atividade profissional voluntária na Freguesia de Parada de Todeia, Paredes, desde 2001. Colabora igualmente de forma altruísta e voluntária com inúmeras coletividades do concelho, tanto na área do desporto como com os bombeiros.
Cristiano Ribeiro vai também receber, das mãos do Sr. Presidente da Câmara, a Medalha de Ouro do Município de Paredes.
 
Joaquim Fernando Moreira nasceu a 20 de janeiro de 1942, em Leça da Palmeira, Matosinhos e reside em Penafiel. Fez o Ensino Primário e Liceal em Leça da Palmeira e no Porto, ingressando depois no Curso de Engenharia Civil da Universidade do Porto, onde se licenciou, em 1974.
Entretanto, de 1969 a 1975 lecionou no ensino preparatório e em 1976, tomou posse como Engenheiro no Gabinete de Apoio técnico do Vale do Sousa, onde exerceu funções até à data da reforma, em 2007. Durante esse percurso, foi nomeado Diretor de Serviços, em 1975, cargo que exerceu também até à reforma.
Foi Presidente da Comissão Politica Concelhia do Partido Socialista de Paredes durante um mandato; Mandatário Concelhio em Paredes da candidatura do General Ramalho Eanes à Presidência da República; Mandatário Concelhio em Paredes da candidatura de Jorge Sampaio à Presidência da República; vereador da Câmara Municipal de Penafiel, de 1977 a l984 (substituto do Presidente e Presidente do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados em 1983 e 1984) e de 2009 a 2013.
Foi também membro da Assembleia Municipal de Paredes e Presidente do Conselho de Administração dos SMAS de Paredes, coordenador do programa de execução do Sistema Integrado de Recolha e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos do Vale do Sousa, que conduziu à construção de três Aterros Sanitários, vários Ecocentros e à implantação de Ecopontos em toda esta sub-região.
 
José António Couto nasceu a 15 de novembro de 1958, na freguesia de Lordelo, Paredes, onde reside. É casado e pai de duas filhas. Fez a instrução primária em Lordelo e o preparatório, o secundário e o complementar no Instituto Nun’Alvres, em Santo Tirso, em regime de internato. Licenciou-se em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, em 1982.
Profissional liberal até 1986, assumiu desde então e até 1994, as funções de vereador e de vereador substituto do Presidente na Câmara Municipal de Paredes, passando, entre outros cargos, por praticamente todos os pelouros.
Foi nomeado para a Assembleia Intermunicipal da Associação de Municípios de Paredes, Penafiel, Lousada, Paços de Ferreira, Felgueiras e Castelo de Paiva em agosto 1986.
Exerceu o cargo de vereador sem pelouros no executivo da Câmara Municipal de Paredes, nos anos de 1994 a 1996.
Para além da vida autárquica, é sócio fundador da empresa IMEVICO, da qual é sócio-gerente. Foi presidente da Assembleia Geral e da Direção do Aliados Futebol Clube de Lordelo, e acompanhou e participou no estudo prévio do futuro complexo desportivo da associação. Foi ainda eleito Personalidade do Ano pela Junta de Freguesia de Lordelo e recebeu também a Medalha de Mérito da Câmara Municipal de Paredes.

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.