All for Joomla All for Webmasters
29 novembro

PAÇOS DE FERREIRA - Capão de Freamunde já tem "bilhete e identidade"

Escrito por 
Ave certificada com a denominação de Indicação Geográfica Protegida (IGP), atribuída pela Comissão Europeia, passa a ter um “bilhete de identidade” com referência à origem, idade, número de identificação, nome do criador e morada.  A Semana Gastronómica do Capão à Freamunde vai decorrer de 1 a 13 de dezembro no concelho de Paços de Ferreira. E já tem capão à dose!
A introdução de um selo identificativo na ave, com a colocação de uma anilha, certifica a qualidade da ave mais apreciada na região, sobretudo nesta época natalícia.Esta iniciativa continua a surpreender pelo número de restaurantes aderentes: este ano são 16 restaurantes que participam no concurso gastronómico, que confere ao restaurante vencedor o prémio de Melhor Capão.
 
O prémio será entregue no dia 12, na Quinta do Pinheiro, em Freamunde, durante o jantar de Gala promovido pela Associação de Jovens Ao Futuro (AJAF), com o apoio da Confraria do Capão, da Associação de Criadores de Capão e da Junta de Freguesia de Freamunde, em parceria com a Câmara Municipal de Paços de Ferreira.
 
CAPÃO À DOSE
Por regra, a ave é servida à unidade, mediante encomenda prévia, mas este ano os restaurantes vão servir, também, capão à dose (durante a semana gastronómica, cada restaurante tem um dia marcado em que serve capão em dose, seja ao almoço seja ao jantar). O objetivo desta iniciativa é proporcionar a mais pessoas degustar Capão à Freamunde!
No nosso país, durante a noite de consoada, o capão à moda de Freamunde, assado no forno, acompanhado com batatas assadas e grelos, já substitui, desde há vários anos, o peru.
 
CHEFS MUITO CONCEITUADOS SÃO EMBAIXADORES DO CAPÃO À FREAMUNDE
 
A iguaria já conquistou os mais prestigiados Chefs portugueses. Este ano são Embaixadores do Capão: O Chef Bib Gourmand, Ricardo Costa, do Restaurante Casinha Velha - Marrazes, Leiria Michelin;  O Chef Bib Gourmand, Renato Cunha, Restaurante Ferrugem Vila Nova de Famalicão; O Chef Estrela Michelin Tiago Bonito, Casa da Calçada, Largo do Paço, Amarante; O Chef Estrela Michelin Miguel Laffan, L’And Vineyard, Montemor-o-Novo; A Chef Adozinda Gonçalves, do Restaurante Monte Murado, Vila Nova de Gaia; O Chef José Cordeiro, The Blini, Porto e a Chef Maria Palmira Pereira, Restaurante Bocados, Ponte de Lima. 
 
FEIRA DE SANTA LUZIA OU FEIRA DOS CAPÕES
 
No dia 13 de Dezembro, realiza-se a tradicional “Feiras dos Capões”, em Freamunde, onde vários produtores de galináceos participam no concurso de melhor capão vivo. 
 
A Feira dos Capões foi oficialmente instituída a 3 de Outubro de 1719 por provisão d'El-Rei D. João V. Os estudiosos indicam-na como costume medieval, pelos relatos de notícias em documentos do Séc. XV.
 
O melhor da feira, e o que lhe concedeu a fama e popularidade dos dias de hoje, é o imenso mercado de aves que atrai milhares de visitantes à Cidade de Freamunde vindos de todo o Portugal e até de Espanha, sobretudo da Galiza. 
 
Esta é uma ocasião única para serem apreciados diversos exemplares de rara beleza, alguns exibindo um soberbo porte físico. O concurso visa, fundamentalmente, incentivar os criadores de capão a manterem viva esta tradição de Freamunde. 
 
HISTÓRIA DO CAPÃO: A LENDA!
 
O ato de capar remonta ao tempo dos Romanos. Consta a lenda que o Cônsul Romano Caio Cânio, cansado da perda do sono por causa do cantar dos galos, fez aprovar uma lei impeditiva da existência destas aves na cidade de Roma.
 
Sem contrariar a lei, houve quem se lembrasse de uma forma de continuar a usufruir da carne dos galos sem que estes cantassem: capando-os. Surgiu, assim, o capão, que ultrapassa em beleza, tamanho e sabor, o galo macho. Com a romanização de todo o território do Noroeste Peninsular, a tradição de criação do capão foi passando de geração em geração. 
 
O animal castrado apresenta peito largo, com grande abundância de massa muscular, patas e pele de cor amarelada e coxas muito desenvolvidas e musculadas. 
 
O CAPÃO À FREAMUNDE: UMA IGUARIA MUITO ESPECIAL!
 
A sua carne é mais tenra e macia e, quando assado, adquire um requintado e inigualável sabor. O capão sempre foi apontado como iguaria, habitual nos repastos e banquetes reais. Inúmeros historiadores e cronistas mencionaram-no nas suas obras como sendo um prato de excelência servido aos Reis.
 
Foram três os fatores que contribuíram para este posicionamento tão elevado do capão: primeiro, as inegáveis qualidades gastronómicas da carne da ave; segundo, o facto de o capão ser o “ex-libris” de Freamunde; por último, a vontade de receber bem e sempre de braços abertos, aqueles que visitam o concelho de Paços de Ferreira. 

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.