Imprimir esta página
04 fevereiro

CIM TÂMEGA E SOUSA - Aposta na redução de resíduos

Escrito por 
Empenhada em diminuir a sua pegada ecológica, e com o objetivo de promover a transição para uma economia circular, através da utilização mais eficiente e sustentável dos recursos, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) vai adotar um conjunto de procedimentos que contribuam para a redução da produção de resíduos. 
Este compromisso está em linha com a Resolução do Conselho de Ministros n.º 141/2018, de 26 de outubro de 2018, que determina as medidas a aplicar na administração central do Estado com vista à redução do consumo de papel, de consumíveis de impressão e de produtos de plástico.
 
Apesar de o diploma não ser de aplicação obrigatória nas entidades intermunicipais, a CIM do Tâmega e Sousa reconhece a importância da promoção de padrões de consumo mais sustentáveis e, nesse sentido, proibiu o uso de plástico de utilização única ou descartável na sua sede e nos eventos que organiza e apostou na reciclagem de materiais.
 
Internamente, a CIM do Tâmega e Sousa dispõe de um dispensador de água e de uma máquina de café, sendo o consumo destas bebidas feito com recurso a louça de vidro ou de cerâmica. No caso dos eventos, este requisito deverá ser salvaguardado aquando da adjudicação do respetivo serviço de catering. 
A redução da utilização do plástico aplica-se também aos materiais de informação e comunicação que, sempre que possível, deverão passar a privilegiar materiais e práticas ambientalmente sustentáveis.
 
Quanto à reciclagem de materiais, e no sentido de incentivar a separação de resíduos junto dos colaboradores, todas as áreas de trabalho da CIM do Tâmega e Sousa passaram a dispor de mini-ecopontos, enquanto nas áreas comuns foram colocados ecopontos.
No edifício da CIM do Tâmega e Sousa está também disponível um pilhão para recolha de pilhas e baterias usadas para uso dos colaboradores da CIM do Tâmega e Sousa e de todos aqueles que pretendam depositar nele este tipo de resíduos.
 
Com a adaptação destas medidas de âmbito nacional à realidade intermunicipal, a CIM do Tâmega e Sousa promove uma utilização mais sustentável de recursos e dá mais um contributo para a transição da atual economia linear para a economia circular. Recorde-se que esta é uma temática que tem merecido particular atenção no seio da CIM do Tâmega e Sousa que, desde agosto do ano passado, tem em curso um projeto de apoio à economia circular nas compras públicas, designado de “Tâmega e Sousa CIRCULAr”. 
 
Este projeto tem por objetivo estimular as entidades públicas locais, nomeadamente as autarquias locais, as empresas municipais e as entidades intermunicipais para a promoção da economia circular, contribuindo, assim, para a concretização das agendas de transição para as compras públicas ecológicas e circulares, para a redução do seu impacto ambiental e para a valorização do território, promovendo a inovação e a eficiência no uso dos recursos e, consequentemente, a sustentabilidade.