26 novembro

PAÇOS DE FERREIRA E BAIÃO – DOIS DETIDOS POR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Escrito por 
O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel, nos dias 23 e 25 de novembro, deteve dois homens, com 49 e 41 anos, respetivamente, pelo crime de violência doméstica, nos concelhos de Paços de Ferreira e Baião.
No dia 23 de novembro, os militares, no âmbito de uma investigação, apuraram que o suspeito exercia violência física, psicológica e sexual, contra a vítima, sua ex-cônjuge, de 47 anos, com a qual esteve casado 27 anos, tendo o divórcio ocorrido em junho de 2019. A vítima, após a separação e acreditando que o agressor iria cessar os seus comportamentos violentos, aceitou a permanência do mesmo na residência, mas tal não se veio a concretizar, continuando o agressor com humilhações, intimidações, forçando-a a praticar relações sexuais contra a sua vontade, usando a violência física para conseguir os seus objetivos.
 
O suspeito, com antecedentes criminais pela prática do mesmo tipo de crime, foi detido e presente, ontem, dia 25 de novembro, a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Marco de Canaveses, onde lhe foram aplicadas as medidas de coação de afastamento da residência e do local de trabalho da vítima, com uma distância mínima de 500 metros, proibição de contactos por qualquer forma ou meio com esta, fiscalizadas por meios técnicos de controlo à distância (pulseira eletrónica).
 
No segundo caso, ontem, dia 25 de novembro, e também no âmbito de uma investigação, os militares apuraram que o suspeito, alcoólico, exercia violência física e verbal contra a vítima, sua esposa, de 38 anos, imputando-lhe acusações de infidelidade conjugal, demonstrando ciúmes obsessivos desde que a vítima começou a trabalhar. Confrontado com uma queixa contra si apresentada, o suspeito alterou a sua conduta, levando a que a vítima requeresse a suspensão provisória do processo, ficando o agressor sujeito à imposição de injunções e regras de conduta, principalmente, “não ofender a vítima física e psicologicamente” pelo período de 18 meses, tendo o suspeito, no entanto, continuado a praticar factos semelhantes aos anteriores.
 
O detido será presente, hoje, dia 26 de novembro, a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Marco de Canaveses, para aplicação de medidas de coação.