22 janeiro

REGIÃO - TÂMEGA E SOUSA PRETENDE CONSTITUIR-SE COMO BIORREGIÃO

Escrito por 
A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) está a trabalhar no sentido de tornar o seu território numa biorregião e a criar condições para a sua integração na Rede Internacional de Biorregiões, a IN.N.E.R. – International Network of Eco Regions. Uma biorregião é uma área geográfica onde os agricultores e produtores biológicos, a comunidade em geral, os operadores turísticos, as associações, as instituições de ensino 
e o poder local e intermunicipal estabelecem um acordo para a gestão sustentável dos recursos locais, partindo do modelo biológico de produção e consumo.    A promoção dos produtos biológicos numa biorregião articula-se com a promoção do território. Ou seja, os recursos naturais, culturais e produtivos do território estão ligados em rede e são reforçados por políticas locais orientadas para a valorização do ambiente, das tradições e dos conhecimentos locais.   Liderado pela CIM do Tâmega e Sousa, este projeto conta com a parceria do INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, da UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da Dolmen – Desenvolvimento Local e Regional, da Ader-Sousa – Associação de Desenvolvimento Rural das Terras do Sousa e da EPAMAC – Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Marco de Canaveses.   O projeto, que arrancou esta semana e que irá desenvolver-se até outubro do próximo ano, tem por objetivo definir uma estratégia agregadora que respeite e valorize as dinâmicas e especificidades do Tâmega e Sousa, mobilizando os múltiplos agentes da comunidade, partindo de um modelo biológico e agro-ecológico de produção e consumo. Pretende, desta forma, fomentar o conceito “produzir e consumir no Tâmega e Sousa”.    A CIM do Tâmega e Sousa já havia manifestado a sua pretensão em tornar este território numa biorregião em abril do ano passado, aquando do Fórum Internacional sobre Biorregiões, que contou com a participação do Presidente da IN.N.E.R. – International Network of Eco Regions, do Diretor-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural e do Presidente da AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, um objetivo que começa agora a ganhar forma.   No total, serão investidos cerca de 80 mil euros na criação de condições contextuais e operativas para a adesão do Tâmega e Sousa à Rede Internacional das Biorregiões, uma verba financiada na íntegra pelo PDR – Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEADER – Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural.