All for Joomla All for Webmasters
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 296
16 fevereiro

Autarca paivense realçou os 20 anos de geminação com município espanhol

Escrito por 

O presidente da CM de Castelo de Paiva realçou, num discurso evocativo dos 20 de geminação, a importância de preservar o espírito de cooperação e amizade, bem como continuar a manter uma relação fraternal e de salutar entendimento com o município espanhol de Fabero del Bierzo, traduzida no desejo de realização de iniciativas de interesse comum, orientadas para a promoção de intercâmbios culturais e desportivos, dinâmicas económicas, troca de experiencias e conhecimento das diferentes realidades municipais.

Na sua primeira deslocação a este território do perímetro carbonífero da província de Castilla y Léon, Gonçalo Rocha falava no decorrer da cerimónia de abertura do XIX Festival del Botillo, um reconhecido evento gastronómico que se realizou no passado fim de semana nesta vila mineira de Los Ancares Leoneses, onde esteve a convite da Alcaldesa de Fabero, Marie Paz Martinez, e ao lado dos convidados especiais, como o “ mantenedor “ Jesus Cintora, do presidente do Governo Regional da Cantábria, Miguel Angel Revilla, da Sub Delegada do Governo Regional de León, Teresa Mata, e do presidente do Consejo Comarcal del Bierzo, Gerardo Alvarez Courel, entre outras entidades e personalidades locais.

Depois de ter participado numa visita guiada ao Pozo Julia, a referência mais emblemática do auge da exploração mineira que teve outrora esta região, orientada por elementos da Associação de Mineiros da Cuenca de Fabero, o edil paivense teve a oportunidade de conhecer o perímetro urbano da vila, bem como Lillo del Bierzo, o segundo núcleo mais importante deste município leonês, tendo realizado uma saudável troca de impressões com a nova alcaldesa socialista Maria Paz Martinez, o presidente da Associação de Reformados e Pensionistas “ El Cangalón “, para além de outros autarcas, dirigentes locais e agentes económicos, destacando-se o contacto mantido com o presidente do Governo Regional da Cantábria, que ofertou ao autarca português alguns dos seus livros de maior sucesso e, maravilhado com a beleza da terra de Paiva, manifestou interesse em conhecer Castelo de Paiva e os seus afamados vinhos verdes, agradecendo o convite que lhe foi formulado para visitar em Julho, a Feira do Vinho Verde, Gastronomia e Artesanato.

Na sua intervenção, Gonçalo Rocha agradeceu o convite e realçou os 20 anos que marcam a geminação entre os povos ibéricos de Castelo de Paiva e Fabero del Bierzo, evidenciando o espírito que presidiu a este entendimento em Novembro de 1995, defendendo o interesse de manter, incentivar e promover a aproximação entre os dois municípios e ajudar a fortalecer ainda mais, os laços de amizade, cooperação e solidariedade que une estas duas terras outrora mineiras, argumentos que considerou ser importantes para continuar a marcar o sucesso deste “ hermanamiento “ entre as duas comunidades.

Imbuídos na mesma vontade de ajudar a construir os desígnios de uma Europa sem Fronteiras, que nos envolve numa caminhada sustentada nos princípios do entendimento e solidariedade, o edil desejou os maiores sucessos à nova governação municipal de Fabero del Bierzo e aproveitou a ocasião para falar das potencialidades de Castelo de Paiva e promover o grande evento que é a Feira de Vinho Verde, que este ano terá um cunho internacional, com a presença da mítica banda rock espanhola LA FRONTERA, num concerto que se espera memorável, agendado para a noite de 2 de Julho.

Numa cerimonia animada pelo Grupo de Gaitas San Blás de Fabero e pelo Grupo Musical Azar, onde a degustação do célebre Botillo del Bierzo cativou dezenas de apreciadores, a Alcaldesa Marie Paz mostrou-se agradecida pela presença do autarca de Castelo de Paiva, sublinhando a importância de continuar com esta parceria e estreitar ainda mais os laços de amizade e os vínculos culturais e humanos que reforçam a ligação estabelecida entre os dois povos, fortalecendo por isso, a vontade de fomentar projectos educativos, turísticos e culturais, partilhando costumes e tradições e, ao mesmo tempo, debatendo problemas comuns relacionados com a antiga exploração mineira, na perspectiva de valorizar e incentivar atractividade turística.