21 março

CIM-TS - Comunidade Intermunicipal reivindica centros de rastreio da COVID-19

Escrito por 
A região do Tâmega e Sousa, que integra os municípios de Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende, e o Município de Paredes querem passar a dispor de centros de rastreio da COVID-19 para testar pessoas com suspeita de infeção e previamente referenciadas pelo Serviço Nacional de Saúde. Pretende-se, assim, aumentar a capacidade de resposta no combate à pandemia e aliviar o afluxo de potenciais suspeitos de infeção aos hospitais.
Esta vontade já foi comunicada à Ministra da Saúde pelo Presidente do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), Gonçalo Rocha, e surge na sequência de uma reunião de trabalho realizada na tarde de ontem, dia 19, por videoconferência, que contou com os autarcas dos 11 municípios da CIM do Tâmega e Sousa e da Câmara Municipal de Paredes e de representantes da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte).
 
A existência de centros de rastreio da COVID-19 no Tâmega e Sousa ganha particular relevância numa altura em que assistimos a um novo fluxo milhares de pessoas que, oriundas, entre outros, de Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Suíça e Andorra, vão acrescer aos cerca de 520.000 habitantes destes concelhos, e cujo estado de saúde, face a esta pandemia, causa extrema preocupação.
 
Os autarcas da região estão a envidar todos os esforços para acudir a esta situação de emergência e a trabalhar na concertação de medidas entre municípios e autoridades de saúde, tendo corroborado ao Ministério da Saúde, à ARS Norte e ao Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) a sua disponibilidade para ajudar em tudo o que estiver ao seu alcance para colmatar necessidades que venham a ser identificadas.
 
Neste âmbito, está a ser diligenciada a aquisição de equipamento de proteção individual para ser disponibilizado às unidades de saúde, Misericórdias e IPSS, bombeiros e proteção civil e municípios destes 12 concelhos.
 
De referir, ainda, que os municípios do Tâmega e Sousa e de Paredes, depois das muitas diligências realizadas nos últimos dias, conseguiram adquirir, em função daquilo que o mercado nesta altura permite, 11 ventiladores para doentes em situações de crise ou de emergência que necessitem de ventilação invasiva, que serão disponibilizados ao CHTS.