03 junho

TÂMEGA E SOUSA | SEGUNDA BRIGADA DE SAPADORES FLORESTAIS DA CIM DO TÂMEGA E SOUSA INICIA ATIVIDADE

Escrito por 
A segunda Brigada de Sapadores Florestais da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) iniciou hoje, dia 1, a sua atividade. Constituída por 15 elementos, esta equipa terá como principal missão o desenvolvimento de ações de silvicultura preventiva, principalmente na manutenção e instalação de rede primária de defesa da floresta contra incêndios, de consolidação pós-fogo e de estabilização de emergência e apoio ao combate a incêndios rurais, reforçando o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelos outros 15 da primeira brigada.
Numa primeira fase, e durante cerca de um mês e meio, estes elementos vão receber formação, ministrada pelo ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, nas áreas da silvicultura preventiva, primeiros socorros, segurança e saúde no trabalho, equipamentos e veículos de sapadores florestais, vigilância e intervenção em incêndios rurais, técnicas de rescaldo, entre outras. Pretende-se que, durante este período, os sapadores adquiram as competências necessárias para o exercício das funções, avançando, posteriormente, para os trabalhos no terreno.
 
Na sessão de acolhimento, que se realizou esta tarde na Casa da Juventude e do Desporto de Baião, onde decorrem as ações de formação, o Primeiro-Secretário do Secretariado Executivo da CIM do Tâmega e Sousa, Telmo-Pinto, sublinhou a importância da criação desta segunda brigada: “A existência de mais uma brigada enquadra-se na estratégia da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, que assume a conservação da natureza e da floresta como uma das suas áreas de intervenção. Esta brigada vai permitir aumentar a capacidade de resposta de defesa da floresta contra incêndios e, simultaneamente, melhorar a resposta de adaptação do território no pós-incêndio”.
 
Neste contexto é de referir a criação, em 2018, da primeira Brigada de Sapadores Florestais, composta por 14 sapadores e por um engenheiro florestal, que lidera a equipa e que assumirá também este segundo corpo, num total de 30 operacionais, e a constituição do Gabinete Técnico Florestal Intermunicipal do Tâmega e Sousa, nesse mesmo ano.
 
Tal como a primeira brigada, também esta ficará sediada na antiga escola primária do Gôve, em Baião. “Foi entendimento dos 11 municípios manter a sede desta segunda brigada no concelho de Baião, uma vez que era mais profícuo, do ponto de vista da racionalização dos recursos, termos tudo concentrado num único sítio, onde temos as instalações e as máquinas”, justificou o Presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira. 
A área de atuação das duas brigadas estende-se pelos 11 municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa, em consonância com os objetivos definidos, a nível municipal, nos Planos Nacionais de Gestão Integrada de Fogos Rurais e, a nível nacional, na Estratégia Nacional para as Florestas e no Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios.
 
A constituição desta segunda Brigada de Sapadores Florestais resulta de uma candidatura apresentada pela CIM do Tâmega e Sousa ao ICNF, sendo cofinanciada pelo Fundo Florestal Permanente.