All for Joomla All for Webmasters
01 abril

BAIÃO - Primeiro-Ministro na apresentação do Plano da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa no âmbito do PART

Escrito por 
O Primeiro-Ministro, António Costa, participou na cerimónia de apresentação do Plano de Redução Tarifária da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), que se realizou este sábado, 30 de março, às 10h30, na Câmara Municipal de Baião. Participaram ainda no evento o Ministro do Ambiente e da Transição Energética, o Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, o Secretário de Estado das Infraestruturas, bem como os autarcas dos 11 municípios que compõem a CIM do Tâmega e Sousa.
O Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) da CIM do Tâmega e Sousa prevê uma redução das tarifas nos transportes públicos coletivos que ronda os 70% e ainda um aumento da oferta dos serviços de transportes.
 
Com a entrada em vigor do PART, a CIM do Tâmega e Sousa vai disponibilizar aos utentes dos transportes coletivos o “Passe CIM do Tâmega e Sousa”, bem como a criação de um título de 10 bilhetes pré-comprados com uma redução tarifária de 50%.
Nos Passes Urbanos, o custo máximo será de 20€, os Passes Municipais custam 30€ e nos Passes Intermunicipais/Inter-regionais o custo máximo será de 40€.
 
Além da redução dos tarifários nos transportes públicos da região, o PART da CIM do Tâmega e Sousa vai aumentar a oferta de serviços de transporte público, através do Projeto-piloto “Rede Tâmega e Sousa – PART”, que vai permitir uma otimização da rede de transportes públicos rodoviários entre as sedes dos municípios e o Hospital Padre Américo, em Penafiel, e interligação com a rede de transportes coletivos ferroviários. Outra novidade deste programa é a criação de uma rede de transporte a pedido.
O PART conta com um montante global de 116 milhões de euros, através da transferência de 104 milhões de euros do Orçamento do Estado e da contribuição total de 12 milhões de euros por parte das autarquias. 
 
O PART pretende contribuir para a promoção do transporte público, melhoria da mobilidade das populações e coesão territorial. A medida beneficiará quase 1 milhão de pessoas em todo o país e deverá atrair mais 100 mil utilizadores ao longo do primeiro ano de implementação.
 
Com o expectável aumento do acesso ao transporte público, o Governo estima que ocorra uma redução de 73 mil carros a circular nas estradas e que sejam emitidas menos 79 mil toneladas de dióxido de carbono por ano.
Além dos benefícios para a mobilidade e ambiente, o PART é ainda um instrumento de descentralização, já que dá às áreas metropolitanas e comunidades intermunicipais a possibilidade de administrarem as respetivas verbas de acordo com as necessidades específicas de cada local.