Cooperativa Bem da Terra

Oficina Criar Solo – Compostagem e regeneração da terra  (20 out. 19h às 21h). Toda a horta e jardim cheio de cores, formas, aromas e alimento têm por base o solo. São os solos bio diversos que permitem a diversidade de paisagens. A perda de solo leva à perda de biodiversidade, à monotonia da paisagem e a falta de alimento.  O solo é a base para a vida.  Nesta oficina os/as participantes terão oportunidade de aprender a construir solos férteis de forma simples e 
27 junho|9.30h às 12.00h. Workshop dedicado à arte de criar jardins/hortas familiares de plantas comestíveis e harmoniosos, capazes de produzir alimento para a família e beleza, inspirados nos sistemas florestais naturais e sem uso de venenos. Jardins temáticos e sensoriais inspirados nos padrões da natureza e na criatividade humana.   Os/as participantes terão oportunidade de aprender a construir uma horta familiar em forma de jardim, seguindo os padrões da natureza, a baixo custo e com alta rentabilidade. 
No próximo dia 22 de abril comemora-se o Dia Mundial da Terra, assim e na impossibilidade de realizarmos uma caminhada sensorial, o Bem da Terra desafia cada pessoa a viver nesse dia um Momento Sensorial de Ligação com a Terra.  Convidamos todas as pessoas a participar num exercício de (re)ligação com a Terra, uma oportunidade para entrar na
As Conversas da Terra voltam em Setembro e desta vez com o tema “O mundo de plásticos – Problema ou Desafio”. O plástico está longe de ser descartável, é altamente resistente, afeta os organismos e demora vários séculos para se decompor na natureza. Se o ser humano mantiver os mesmos hábitos de consumo, em 2050 teremos mais plásticos do que peixes no mar. 
Dia: 17 de maio -  Horário: 21h - Local: Espaço Bem da Terra (Vila Verde – Felgueiras). No mês em que se comemora o 112º aniversário do nascimento de Rachel Carson, a CONVERSA DA TERRA é dedicada a sua obra PRIMAVERA SILENCIOSA, a obra que dá Voz à Primavera e fala de um tema até hoje muito preocupante e devastador, o uso de pesticidas e as suas consequências na natureza e no ser humano. Uma obra muito atual e muito pouco divulgada. 
12 de Abril. A próxima CONVERSAS DA TERRA terá como tema “Da Escola que temos à escola que queremos” onde serão convidados/as alunos/as, professores/as, pais/mães, autarcas e sociedade civil, para uma conversa sobre educação, o grande motor de transformação social. Uma educação que seja capaz de resolver o problema da alienação do mundo natural, que incentive o desenvolvimento de habilidades e valores que orientarão e motivarão para estilos de vida sustentáveis e felizes.
No próximo dia 13 de abril, o Bem da Terra abre portas para mais uma Experiência em Permacultura. Uma tarde para viver a permacultura, aprofundar conceitos, partilhar vivências, cooperar e mergulhar na agricultura natural e nas ervas aromáticas e medicinais. Oportunidade para conhecer o Bosque do Bem da Terra e colaborar na sua construção/manutenção.
Celebra a Primavera na horta do Bem da Terra. Uma tarde para viver a permacultura, aprofundar conceitos, partilhar vivências, cooperar e mergulhar na agricultura natural e nas ervas aromáticas e medicinais. Oportunidade para conhecer o Bosque do Bem da Terra e colaborar na sua construção/manutenção.
Um espaço de tertúlia para partilha e discussão sobre as plantas aromáticas, os seus sabores e saberes, aprender com as plantas, seguir o seu funcionamento para melhor criarmos sinergias entre as pessoas. De forma a dar continuidade às Conversas da Terra, no próximo dia 8 de Março (sempre na 2ª sexta-feira do mês) pelas 21h nas instalações do antigo Infantário em Vila Verde – Felgueiras temos uma prova cega de infusões e tisanas com as ervas do Bem da Terra. 
Dia: 8 de Fevereiro  - 21h -  Local: Antigo infantário de Vila Verde, concelho de Felgueiras: Um espaço de tertúlia para partilha e discussão sobre o ser humano pró-ativo na construção de um ambiente mais resiliente, acompanhado pelas infusões do Bem da Terra.  Para início de conversa (primeira sessão) temos o tema “O ser humano na construção de comunidades resilientes”. 
Pág. 1 de 2